BLOG

Entrevista com Mercedes Mason (Ofelia)

01_OfeliaQuem é Ofelia Salazar, e o que o atraiu a ela, inicialmente?

Quando eu li o roteiro pela primeira, meu personagem era muito forte, unindo-se perfeitamente ao pai dela, Daniel. Mas à medida em que a desenvolvemos, ela tornou-se muito mais suave, muito mais uma filhinha de papai. Eu não acho que ela ainda tenha a força para viver sozinha. Os desafios deste mundo irão ajudá-la a desenvolver a sua força. Eu adoro mulheres fortes e eu era uma fã da série original, de modo que eu já estava interessada. Ofélia é filha única, e há muito sobre os pais dela que ela não sabe. Eu amo a ideia de ir de um lugar inocente e protegido, para ser jogada no fundo do poço, e como uma atriz isso é realmente emocionante. Eu quero que ela passe de protegida a durona, e desenvolva algum tipo de arma – como eu imagino que poderia acontecer em algum momento?

Qual é a premissa do show?

Começamos no marco zero. Os fãs do original vêem Rick Grimes acordar. O mundo foi ao inferno e a sobrevivência está em seu melhor estado. Com esse show, nenhum de nós sabe o que está acontecendo; como personagens que não sabemos a magnitude da situação. Em cima disso, porque os caminhantes em nossa série são “mais frescos”, eles se parecem com o seu vizinho, seu amigo, por isso é mais difícil de matar alguém. Torna-se muito psicológico para atirar em alguém que é mais de aparência humana, ao contrário de um andador que está morto há anos e decadente. E isso amplifica o medo tremendamente. Estamos obrigados a descobrir-nos, e a quem podemos confiar e a quem não podemos. Depois, jogue os caminhantes nisso, e você tem um monte de personagens lutando com a moral e a descoberta de como esse novo mundo está sendo moldado.

02_Ofelia

Para mim, isso parece muito com uma versão adulta de O Senhor das Moscas. Esse foi um dos meus livros favoritos quando jovem. Estranhos são jogados na mistura e você tem que sobreviver, e é incrível o quanto a natureza humana pode se adaptar para sobreviver. A família é importante, porque essas são as únicas pessoas que você pode confiar e contar durante o apocalipse. Também é importante ser auto-suficiente e entender a sua própria força. A sobrevivência humana e instinto humano é o que estamos realmente falando aqui.

Que tipo de dinâmica é criada pelo público para saber mais do que os personagens?

Eles já sabem muito mais do que nossos personagens. Como atores os roteiros são tão secretos, como os segredos doNational Treasure, e eles são liberados direitamente quando temos a leitura de mesa, e ai descobrimos coisas. O público é 100% mais bem informado sobre os caminhantes, este universo e para onde estamos indo. Estamos sendo mostrados entre o hiato do original, por isso vai ser bom para os fãs de ir e vir entre esses dois mundos.

O que Ofélia significa para a família?

Adoro que ela é uma mistura de sua mãe e seu pai. Sua mãe é como a Virgem Maria nos meus olhos, onde ela é tudo de bom, toda doce e toda generosa. Seu pai tem a força, conhecimento e sabedoria, mas a desconfiança e paranóia absoluta do que está acontecendo ao seu redor. Ela respeita os dois e os ama tanto, então ela está presa entre esses dois mundos, tentando ser gentil, mas também tentando não ser ingênua.

FTWD_104_JM_0609_0333 cortada

O que acontece quando as famílias se reúnem, e onde é que vamos encontrar o conflito entre nossos personagens em termos de sobrevivência e fazendo a coisa compassiva?

É uma coisa natural a fazer quando as pessoas se uniram. Você quer ter alguém para confiar, você precisa ter o companheirismo, e você precisa ter confiança. Nós somos todos diferentes seres humanos; nós não estamos todos aqui para se dar bem. Assim, não é só o mundo caindo aos pedaços do lado de fora, mas há também o que está desmoronando por dentro, porque nós estamos forçando as famílias a estarem unidas, porque não temos outra escolha.

Eu acho que uma vez que a sobrevivência entra nessa equação – a necessidade humana de sobreviver é tão forte que você faz o que você precisa fazer para garantir que você e seus entes queridos estão seguros. Pouco antes, então, é onde a moralidade em conjunto questiona: “Esta pessoa está me ferindo? Posso ficar longe deles? É a minha única opção para potencialmente matá-los? “E eu acho que essa linha é atraída muito rapidamente e de forma individual. É uma batalha constante neste show, porque nosso inimigo proverbial parece muito humano. Torna-se mais difícil quando é o seu vizinho que você tomou um café ontem.